sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Com os pés quebrados em Lo-Debar

Uma terra sequíssima
Existe na Bíblia, a Palavra de DEUS, inúmeros testemunhos, exemplos e lições de pessoas e fatos que servem hoje para a edificação da vida e elevação da alma e referencia de conduta, e outros ainda, para a exortação da vida em seus aspectos variados, como também, exortação à alma, e estas lições tão diversificadas, diferentes em seus mais profundos temas como também, preciosas se apresentam como exemplos diários, em pessoas, lugares, ações, atitudes multidiversas, pois em sua maior performance, apresentam-se em palavras, nesta ultima forma é que iremos meditar em pouquíssimas palavras nas palavras desta lição-história, que está aqui representada em forma de pessoas que pronunciaram palavras com uma intenção pré-determinada esperando um efeito eficaz, também, diga-se, pré-determinado.

1º - E disse-lhe o rei: Onde está? E disse Ziba ao rei: Eis que está em casa de Maquir, filho de Amiel,

em Lo-Debar.

{II Samuel 9:4}

Lo-Debar, Ziba, o rei Davi, Maquir (o mendigo), Mefibosete (filho de Jonatas e neto do rei Saul), são hoje os nossos personagens, procuraremos reunir aqui lugares, pessoas, atitudes e palavras e intenções para dizer-lhes que, este conjunto de coisas e sentimentos usados de maneira sagaz, pré-determinada seja para qual for o intuito, produzem efeitos bons ou catastróficos.

O Rei Saul, homem cruel, sem escrúpulos, que foi aclamado Rei no lugar do profeta Samuel a pedido do povo (I Samuel 8:4), Samuel, que tinha sido escolhido por DEUS desde o ventre de sua mãe, e consagrado a DEUS pelas mãos do profeta Elí, para julgar o povo de DEUS, e Saul o rei aclamado impedia que um rei de verdade, como o rei Davi subisse ao trono para governar o povo de DEUS. Davi, no entanto, servo de DEUS, homem segundo o coração de DEUS, ungido Rei na casa de seu pai Jessé pelo próprio profeta Samuel, a mandado de DEUS para este serviço específico, esperava em DEUS a oportunidade para reinar no trono que já lhe pertencia por direito de unção Divina, e enquanto isto não acontecia fazia um curso rápido, quarenta anos, um estagio sem remuneração no deserto, pastoreando ovelhas, literalmente, tudo para quando subisse ao trono que lhe era por direito de unção, reinasse de acordo com a vontade Divina, já que todos os outros reis que nele tinham subido não faziam a vontade o DEUS Altíssimo.

De contra partida, Saul, rei por aclamação do povo, e aceito por DEUS, e que foi escolhido por seus dotes físicos, coisas que só os olhos carnais e humanos podem ver, providenciava para que Davi não reinasse em seu lugar, mesmo sabendo que o seu tempo findava em função de sua desobediência e incredulidade para com DEUS.

O reinado de Saul era catastrófico para o povo em todos os sentidos, também não podia ser diferente, pois Saul foi escolhido pelo povo e não por DEUS, apesar de ter sido ungido com a permissão de DEUS, porque permitiu DEUS para mostrar a falta de capacidade do homem, e a demais, DEUS já de início avisara o povo por intermédio do profeta Samuel que não seria um reinado saudável, proveitoso, próspero, pois tudo o que o homem faz e escolhe sem que DEUS aprove, é sem dúvida nenhuma, catastrófico.

Apesar, também, de que pela ótica humana não poderia Davi reinar, pois não era da mesma linhagem de Saul, porém o que DEUS faz não se discute, tanto que em uma mensagem que ouvi há tempos passados, dizia o pregador em questão, que DEUS é muito “complicador”, que tudo o que faz Ele “complica”, “complica” e “complica”, e não diz porque complica, porém, do nada e para o nada, DEUS “descomplica”, “descomplica”, “descomplica” e explica, o que fez dizendo: O que fiz, o fiz para a minha glória. Pois, DEUS é DEUS, é Ele faz o que quer, tanto que mandou Moiséis apresentar-se a Faraó da seguinte forma: Diga a Faraó que Sou o que Sou. {Êxodo 3:14}.

Enfim, pela vontade de DEUS, Davi assume o trono e inicia o seu reinado que irá ficar marcado para sempre nos anais da história mundial. Saul, já é morto, e com ele o seu filho Jonatas que deixou apenas o seu herdeiro.

Jonatas, de contra partida, em vida, tinha tido uma relação totalmente diferente com Davi, diferentemente como tinha sido a relação Saul, Davi, Jonatas, Jonatas, Davi eram amigos de verdade, amavam um ao outro, caminhavam nos mesmos caminhos, confidenciavam-se, tanto que, muitos anos atrás, na mocidade, tinham pactuado entre si, e em seus pactos afirmavam, juramentavam para que a validade fosse assinada por DEUS (Mateus 18:19), e diziam: O que vencer na vida em primeiro lugar, colocara o outro que não venceu para fazer parte de sua vitória. E eram fiéis um para com o outro naquilo que tinham tratado e jurado no passado, porém, a morte os separou.

Jonatas tinha um filho, Mefibosete, filho este que era cuidado com todo o zelo da época, pelas babás do reino de seu avô Saul, amas de leite e outras, pode-se até, ver pelos olhos da fé, usando a fertilidade da imaginação que deveria o neto do rei Saul, Mefibosete, passear pelos espaços reais apropriados para este fim nos átrios do palácio real, ora, não poderia ser diferente, neto de Rei Saul, rei poderoso que tinha todo respaldo humano da época e filho do Príncipe Jonatas, ah! Era herdeiro direto e por direito do trono que Davi ocupava naquele momento, o último da dinastia do velho avô, uma pessoa assim, nunca conheceu a amargura, a tristeza, as dificuldades e vicissitudes da vida realmente dono de tudo quando Davi estava governando, e estava longe do que era seu por direito hierárquico, em função das falcatruas que a vida coloca a disposição dos viventes da terra.

Vejam, todos fazemos parte de uma dinastia real, todos somos criatura, benfeitorias das mãos do Rei dos Reis, DEUS, herdeiro de JESUS CRISTO por adoção (Gálatas 4:5), príncipe dos céus, e vivem uma vida de desprazer e de desalegria constante, desapercebido, absorto, em muitos casos alheio aos acontecimentos da vida, e ficam a mercê das armadilhas que a vida e o inimigo de nossas almas oferece gratuitamente para todos que estão sobre a face da terra para desvincular a adoção de DEUS para o homem.

Porém, Mefibosete não estava apartado do que lhe pertencia por prazer ou vontade, e sim por uma conseqüência e seqüência de fatos da vida que o impediam até de poder reivindicar o que lhe pertencia. Se pararmos para pensar um pouquinho, poderemos ver com os olhos da imaginação, que em muitos dias de sua miserável vida, ele sonhava com coisas que sua imaginação o fazia ver que tinha em tempos passados.

Note a armadilha que a vida preparou para Mefibosete privando-o do uso de seus bens.

Quando da idade de cinco anos em uma perseguição que o reino de seu avô sofreu, foi jogado no chão violentamente, bruscamente por sua babá, sua ama, que queria fugir da morte, pois, se cumpriam as profecias que o reino de desfaria em função dos pecados cometidos pelo rei e pelo povo, e quando ela se viu perseguida dentro do reino onde vivia e trabalhava, apavorou-se e jogou o menino no chão para poder safar-se melhor e mais rápido, da perseguição feita por povos bárbaros que queriam destruir a qualquer custo o reino de Saul. Mefibosete, caiu e lá ficou a mercê da própria sorte.

Mefibosete na queda quebrou os dois pés assim relata a Palavra do Senhor e Salvador, JESUS CRISTO, (II Samuel 9:3). Naquela época, todos os homens que possuíssem qualquer deficiência física, não poderiam estar junto à sociedade, existia uma mui grande acepção de pessoas em função da deficiência física.

Hoje, era da graça, pois JESUS CRISTO deu-se no calvário por nós em função dos nossos pecados, não existe mais acepção de pessoas e mesmo que tenhamos os pés quebrados por motivos diversos, não somos discriminados dentro da sociedade em que vivemos, pois o Senhor JESUS CRISTO, levou sobre si, toda a nossa angustia e diferença, e ainda somos protegidos pela legislação vigente.

Davi, que agora reinava no lugar do Rei Saul, absorto, em um dia em que pensava nas coisas do reino e de sua vida, teve uma idéia. Ah! Vou procurar saber se ainda, após tantos anos e acontecimentos inesperados, alguém da casa de Jonatas meu amigo, e se houver, usarei de beneficência com ele, até porque prometi a seu pai em tempos bons que juntos andávamos. E existia ainda alguém da descendência de Jonatas seu amigo do passado. Isto até hoje ainda acontece, em muitos momentos de nossa vida, em que ficamos ociosos, ficamos a pensar em coisas do passado, não foi diferente com o Rei Davi. Então, perguntou aos que lhe serviam se ainda existia alguém da casa de Jonatas para que ele usasse de beneficência para com ele, para que ele o rei Davi, usasse de bondade para com ele, trazendo-o a estar no reino gozando de benefícios que lhe fossem de direito hierárquico e de direito por juramento. Ninguém sabia de nada, pois muitos anos já tinham passado, a não ser, um serviçal que falou cautelosamente com medo de ofender ao rei:

Oh! Rei, viva a sua alma.

Existi um homem, nos arrebaldes do reino, chamado Ziba, que conhece um rapaz que é descendente direto de Jonatas, (II Samuel 9:2).

Esta afirmação desconcertou o rei visivelmente, para saber de tal pessoa, pois nunca teria ele o rei, deixado de cumprir as promessas feitas, e isto em hipótese alguma.

O rei Davi, não se desconsertou no sentido de estar com medo de perder o reino pára este descendente de Jonatas, real herdeiro do trono, porque sabia o rei que tinha sido colocado por DEUS naquele lugar para reinar para o povo de DEUS, mais pensou sim, em fazer para o verdadeiro herdeiro do trono, todas as beneficências possíveis, até porquê tinha no passado jurado a Jonatas que o que vencesse estaria com o que não venceu, gozando da vitória do vitorioso, e assim agiu o rei. Mandou chamar Ziba o homem que segundo o seu vassalo sabia quem era descendente de Jonatas, filho do maldoso rei Saul.

Lá veio Ziba. Ziba era dos tais que não possue escrúpulos, desde que seja para o seu bem estar e beneficio, fala qualquer coisa e de qualquer maneira, de qualquer pessoa, e o que for necessário para beneficiar-se, e de caso já premeditado, pensado, falou para o rei tudo quanto queria o rei saber, más falou a sua maneira, com a tonica das palavras já direcionada para os seus propósitos.

E perguntou-lhe, então o Rei:

Ziba, quem és tu?

Teu servo. Oh! Rei – {II Samuel 9:2}
Mentira de Ziba, ele apenas morava o reino de Davi, pois tinha sido na realidade, servo de Saul, um dos que sobraram do reino passado, e vivia Ziba, às escondidas no reino de Davi, e segundo a tradição daquela época, todos os que fossem do reino de reis que já tinham sido e não mais eram, tinham de morrer igualmente ao senhor a quem serviam, para que deles não existissem, nem restassem vestígio, e Ziba temendo por sua inútil vida mentia de imediato dizendo-se servo do rei Davi que ora reinava sob a égige do Senhor dos Exércitos.

Quantos não mentem hoje dizendo ser o que não são, apenas pensando em salvar a sua vida miserável, salvar o seu bem estar conseguido as custas do bem estar de outras pessoas, mesmo que isto, custe à derrota do que estiver ao seu lado, não importa, más fazem, porém, continuou Ziba, relatando ao rei.

Ele chama Mefibosete, esta na casa de Maquir, que é filho de Amiel, más tenho de avisar algumas coisas a respeito de Mefibosete, meu rei!

Maquir é pobre miserável, mendigo, e Mefibosete mora de favor na casa do mendigo Maquir, é mendigo duas vezes, e é lá em lo-debar, lugar desgraçado e sequíssimo, mora, e ainda é ele aleijado dos dois pés, nem precisa o rei meu senhor se preocupar com ele, porque ele não oferece perigo algum ao meu senhor e nem ao seu reino.

Note, em tão poucas palavras, quantas maldades foram lançadas para a vida de Mefibosete em um só instante de conversa, observem:

1 - A casa que Mefibosete mora é de um mendigo (o seu senhorio não tem valor).

2 - Ele mora de favor na casa de um mendigo.

3 - É mendigo duas vezes.

4 - Mora lá em lo-debar, que é uma terra sequíssima, terra miserável, terra desgraçada, terra que ninguém quer ir lá.

5 - É aleijado, não poderá estar com o rei a mesa, porque não é permitido aos deficientes físicos (aleijados) estarem junto com os que não possuem deficiências físicas.

6 - É um cachorro morto rei, e cachorro morto não se chuta, pois não oferece perigo algum.

Pode até ser que você está em lo-debar neste momento, talvez more de favor na casa de alguém que não possua condições nem para si mesmo, ou ainda, esteja você com os pés quebrados no sentido figurado da palavra, talvez ainda, para muitos, você não ofereça perigo, porque a sua situação já te fragilizou de muitas maneiras, e até para você mesmo falta-lhe as forças para caminhar, você mesmo reconheça que está chegando o fim do túnel, porque em lo-debar da sua vida, tudo é miserável, sequíssimo, nada pode nascer para reanimar os seus dias, e vitalizar a sua vida, porém se tiver fé e vontade, você sai de Lo-Debar.

O rei Davi chamou os seus vassalos fiéis, homens de grande força e confiança e ordenou-lhes dizendo:

Ide a lo-debar, e lá arranquem, tomem a qualquer custo e preço o filho de meu mui fiel e amigo Jonatas, que em minha mocidade comigo viveu e comigo jurou fidelidade, vão a toda velocidade.

Não foi diferente com as nossas vidas, tínhamos os pés quebrados e morávamos em lo-debar, e Ziba {o inimigo de nossas almas}, não queria a qualquer custo que saíssemos de lo-debar para gozar uma vida abundante e vida de paz e próspera na presença do nosso Rei nosso DEUS, pai de nosso Senhor e Salvador, JESUS CRISTO. E o que fez DEUS, chamou o seu filho, príncipe dos céus e disse: Vá depressa, tome, resgate por meio de sangue vertido no calvário no monte Caveira (gólgota) os meus filhos (benfeitorias de suas mãos) que estão em lo-debar, terra sequíssima.

E vindo o nosso Senhor JESUS CRISTO, fez-se homem, habitou entre nós {João 1:14}, cresceu entre nós, colocou-se a disposição do calvário por nós, pagou com sangue os nossos pecados no madeiro de horror, foi pregado, transpassado e morreu, más ao terceiro dia ressuscitou dos mortos, e ascendeu aos céus, e foi-nos preparar lugar nas mansões celestiais, para que onde Ele estiver, estejamos nós também. {João 14:3}.

A conclusão desta matéria ficará na responsabilidade daquele que a ler e aceitar a nosso Senhor e Salvador, JESUS CRISTO, como o seu único e suficiente Salvador, verifique o que Davi rei em Israel fez para com Mefibosete e os seus, a mesma coisa dará e fará DEUS, pai de nosso Senhor e Salvador, JESUS CRISTO para os que a Ele se entregarem e Nele, DEUS, confiarem.

{II Samuel 9: 9-13}

9 - Então, chamou Davi a Ziba, moço de Saul, e disse-lhe: Tudo o que pertencia a Saul e de toda a sua

casa tenho dado ao filho de teu senhor.

10 - Trabalhar-lhe-ás, pois, a terra, tu, e teus filhos, e teus servos, e recolherás os frutos, para que o

filho de teu senhor tenha pão que coma; e Mefibosete, filho de teu senhor, de contínuo comerá pão à

minha mesa. E tinha Ziba quinze filhos e vinte servos.

11 - E disse Ziba ao rei: Conforme tudo quanto meu senhor, o rei, manda a seu servo, assim fará teu

servo; porém Mefibosete comerá à minha mesa como um dos filhos do rei.

12 - E tinha Mefibosete um filho pequeno, cujo nome era Mica; e todos quantos moravam em casa de

Ziba eram servos de Mefibosete.

13 - Morava, pois, Mefibosete em Jerusalém, porquanto de contínuo comia à mesa do rei; e era coxo

de ambos os pés.






segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

O dia da Bíblia


“Lâmpada para os meus pés é a tua Palavra, e luz para o meu caminho”. (Salmos 119. 105). Essa deve ser a declaração de todos os cristãos diante da Bíblia, que é a revelação de Deus à humanidade e que, mesmo após mais de 20 séculos, continua viva e revelando aos homens a vontade perfeita e agradáveldo coração do Pai.
 
A palavra Bíblia significa “livros”, e vem do grego (língua em que foi escrito o Novo Testamento) “tà Bíblia” – ou seja, livros sagrados. O plural justifica-se, já que a Bíblia não é um livro somente, mas uma biblioteca composta de 66 livros, sendo que 39 pertencem ao Antigo Testamento e 27 ao Novo Testamento. E, no próximo domingo, celebra-se o seu dia.

Qual a origem do dia da Bíblia?
O Dia da Bíblia surgiu em 1549, na Grã-Bretanha, quando o Bispo Cranmer, incluiu no livro de orações do Rei Eduardo VI um dia especial para que a população intercedesse em favor da leitura do Livro Sagrado.
A data escolhida foi o segundo domingo do Advento – celebrado nos quatro domingos que antecedem o Natal. Foi assim que o segundo domingo de dezembro tornou-se o Dia da Bíblia. No Brasil, o Dia da Bíblia passou a ser celebrado em 1850, com a chegada, da Europa e dos Estados Unidos, dos primeiros missionários evangélicos que aqui vieram semear a Palavra de Deus.
Durante o período do Império, a liberdade religiosa aos cultos protestantes era muito restrita, o que impedia que se manifestassem publicamente. Por volta de 1880, esta situação foi se modificando e o movimento evangélico, juntamente com o Dia da Bíblia, se popularizando.
Pouco a pouco, as diversas denominações evangélicas institucionalizaram a tradição do Dia da Bíblia, que ganhou ainda mais força com a fundação da Sociedade Bíblica do Brasil, em junho de 1948. Em dezembro deste mesmo ano, houve uma das primeiras manifestações públicas do Dia da Bíblia, em São Paulo, no Monumento do Ipiranga.
Hoje, o dia dedicado às Escrituras Sagradas é comemorado em cerca de 60 países, sendo que em alguns, a data é celebrada no segundo Domingo de setembro, numa referência ao trabalho do tradutor Jerônimo, na Vulgata, conhecida tradução da Bíblia para o latim. As comemorações do segundo domingo de dezembro mobilizam, todos os anos, milhões de cristãos em todo o País.

Como celebrar o dia da Bíblia
A Semana da Bíblia é dedicada a eventos variados que vão desde cultos até maratonas de leitura bíblica que mobilizam milhares de pessoas.
Há mais de 150 anos, o Dia da Bíblia, é celebrado com o objetivo de difundir e estimular a leitura da Palavra de Deus. A fundação da Sociedade Bíblica do Brasil, em 1948, contribuiu para que esta data fosse se popularizando cada vez mais. E, graças a esse trabalho, o Dia da Bíblia, passou a ser comemorado não só no segundo domingo de dezembro, mas também ao longo de toda a semana que antecede esta data. A Semana da Bíblia é dedicada a eventos variados que vão desde cultos até maratonas de leitura bíblica que mobilizam milhares de pessoas. Conheça, a seguir, como a Semana da Bíblia é comemorada.
Cultos – As igrejas planejam e realizam cultos especiais no Dia da Bíblia. Nestes cultos é lembrado o grande amor de Deus ao entregar a sua Palavra aos homens e o valor dessa Palavra na vida das pessoas. Em geral, nesses Cultos, ofertas especiais são recolhidas para ajudar na distribuição da Bíblia no Brasil e no mundo. Graças a essas ofertas, a Sociedade Bíblica do Brasil consegue distribuir milhares de Bíblias, Novos Testamentos, Porções e Seleções Bíblicas a pessoas necessitadas, na mais diferentes situações e lugares. 

Carreatas – Muitas igrejas organizam desfiles de carros pelas ruas principais da cidade, ostentando faixas com versículos bíblicos. Carros alegóricos, com representações de Bíblias, normalmente fazem parte da carreata. 
Concentrações – As igrejas evangélicas de muitas cidades organizam concentrações públicas para celebrar o Dia da Bíblia. Estas concentrações ocorrem em praças, ginásios esportivos, estádios e outros lugares de fácil acesso ao público. Um culto público, com pregação da palavra, orações e apresentação de corais e conjuntos musicais normalmente é o clímax da celebração. Bíblias, Novos Testamento, Porções Bíblicas e Seleções Bíblicas são distribuídos nas concentrações. 

Maratona – As igrejas organizam maratonas de leitura bíblica em seus templos ou em lugares públicos. Essas maratonas seguem dois modelos. Num caso, textos selecionados são escolhidos e lidos publicamente, normalmente em lugares de grande afluência de pessoas. No segundo caso, é feita a leitura ininterrupta de todo o texto bíblico. Pessoas são escaladas para darem continuidade à leitura e ela só é interrompida quando se completa a leitura de toda a Bíblia. Normalmente esta leitura leva mais de um dia para ser concluída e implica em fazer uma vigília.
 
Monumentos – Já vem de décadas o costume de levantar monumentos à Bíblia em praças públicas das cidades. O monumento à Bíblia é um testemunho público da importância da Bíblia para as pessoas e para a sociedade e, ao mesmo tempo, um marco da importância da Bíblia para a cultura do povo. 

Distribuição – Existem Igrejas que, no Dia da Bíblia, efetuam distribuição maciça de folhetos (Seleções Bíblicas), para que o povo conheça o valor da Bíblia para a vida das pessoas. Também são feitas distribuições de Bíblias, Novos Testamentos e Porções Bíblicas (pequenos livretes que contém um livro da Bíblia ou textos bíblicos escolhidos sobre um assunto específico). A distribuição de Bíblias, em geral, é feita em escolas, hospitais, empresas, quartéis ou outro tipo de organizações. 

Pedalando por Bíblias – Em vários países, são organizados passeios ciclísticos para divulgar a Bíblia e arrecadar fundos em favor da causa da Bíblia. No Brasil, esses passeios começaram a ser realizados no ano de 1998 e são chamados de “Pedalando por Bíblias”. Igrejas e entidades cristãs tomam a iniciativa de organizar o passeio. Cada participante, ao se inscrever, doa uma ou várias Bíblias para serem distribuídas a pessoas ou entidades necessitadas.


terça-feira, 10 de novembro de 2009

"Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando vos darão; porque com a medida com que medirdes também vos medirão de novo".

Notemos o contexto de Lucas 6.38, começando pelos versículos 12 ao 15, eles relatam que Jesus orou a noite inteira e logo pela manhã escolheu entre os discípulos os que seriam apóstolos (enviados a pregar). Na sequência disso, temos as lições sobre quais são características dos verdadeiros discípulos.

Neste capítulo, aprendemos que o cristianismo se consiste em construir e manter relacionamento correto com Deus e com o próximo, precisamos conhecer a Deus sem diminuir a qualidade dos relacionamentos interpessoais. Entendemos assim nas bem-aventuranças (20-26); na questão do perdão (27-30); na questão do amor ao próximo (32-36).

Alguns biblistas afirmam que Jesus criou a metáfora das bênçãos celestiais, citada em Lucas 6.38, olhando como os israelitas faziam para quantificar e qualificar os grãos colhidos. O local para auferir era a própria peça de roupa, um pedaço de pano sobre o cinto, usado como espécie de bolsa, nele eles costumavam conter o trigo. Outros, porém, afirmam que era uma vasilha usada para comportar grãos. O certo é que sendo a roupa ou não, a lição de Jesus é sobre a importância de um coração cheio de liberalidade com os necessitados.

Em outra ocasião, mas dentro do mesmo assunto, Jesus Cristo disse: “Mais bem aventurada coisa é dar do que receber (Atos 20.35).

Então, fica claro que tanto ao necessitado que recebe a doação como ao doador, praticante do amor, existe bênçãos dos céus. “Calcada e sacudida” é o mesmo que generosa. A recompensa do doador é melhor e maior, é em medidas generosamente transbordantes.

Repare que nas lições de Jesus, baseadas no plantio e colheitas do trigo, podemos concluir que praticar o amor produz retorno. Quem é disposto a dar recebe em troca muito mais do que deu. O exercício do amor produz uma correspondência de bênçãos dos céus, que ao doador é em PROPORÇÃO MAIOR DO QUE ELE DISPENSOU AO PRÓXIMO A PONTO DE TRANSBORDAR.

E, nesta questão de amar, Jesus mostra que devemos ir além do discurso bonito, no estilo “eu amo você”. É necessário demonstrar esse amor através da prática do bem. Doando, emprestando, dando... Não se trata apenas do que é abstrato, dos sentimentos. Jesus fala do que é concreto também, pois usa os verbos dar e emprestar (veja os versículos 30, 34).

E na questão da agricultura, quem planta semente de limão não espera que nasça uma laranjeira. Quem ajudar financeiramente, terá retorno na esfera das finanças... Alguns chamam esse retorno de bênção, outros de unção financeira.

Em conformidade com o princípio do amor, devemos ajudar quem precisa ser socorrido (2ª Corintios 8.2). O próprio Deus medirá a necessidade do crente e o recompensará. A medida da bênção e da recompensa a recebermos será proporcional ao nosso interesse pelos outros e à ajuda que lhes damos (2ª Corintios 9.6).

Em se tratando das ofertas aos ministérios cristãos, ao entregar as ofertas e dízimos estamos custeando as igrejas para que preguem o Evangelho de Cristo. Fazer isso, sem dúvida é praticar o amor cristão.

Deus mudou a minha vida!!

Hoje ao me levantar me deparei com situações em mente coisa do passado,mas,quando olhei para dentro de mim,vi o quanto sou ingrato;
tem pessoas neste momento que gostariam de estarem em meu lugar,livre,gozando de muita saúde.Nesta hora reclamamos ate mesmo do q ñ ter 1 carne ou qualquer outra mistura para almoçar,enquanto outros não tem 1 canequinha de arroz para seu almoço.
Graças te dou meu Deus por tudo !!!